Descubra por que você não pode usar o celular no avião

Para que os passageiros não sejam distraídos durante as explicações de segurança de um voo, as companhias aéreas comerciais exigem que todos os equipamentos que emitem frequências de rádio sejam desligados ou colocados em modo avião.

E isso não é tudo, depois de desativar os dispositivos parte do processo de segurança para uma viagem tranquila.

Embora não haja comprovação científica de que dispositivos modernos interfiram no sistema de navegação das aeronaves, a aviação opta pela medida considerada mais segura. A regra geralmente se aplica até que o voo atinja 10.000 pés. Saber mais!

Quais são os riscos de usar o celular no avião?

(Fonte: Pexels)Fonte: Pexels

O maior problema apontado sobre a interferência causada pelo uso de dispositivos móveis é a perturbação na comunicação entre o avião e a torre de controle.

Especialistas em aviação alertam para a possibilidade de a radiofrequência impactar os sistemas de alerta de colisão do cockpit e os radares da aeronave.

Durante a primeira década do século 21, a Boeing e a Civil Aviation Authority (CAA), o equivalente inglês da Anac, realizaram extensas pesquisas para medir os efeitos do uso de dispositivos móveis em sistemas de aeronaves.

Os resultados laboratoriais indicaram que emissões de radiofrequência foram feitas no tom de operação e nas bandas utilizadas para comunicação, incluindo sistemas de pouso por instrumentos.

Esses estudos levaram a Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (FCC) a ser muito rigorosa com a aprovação de telefones celulares e outros dispositivos móveis.

Atualmente, o maior entrave está em aparelhos falsificados e de países que não são comercializados nos Estados Unidos e Europa, cujas frequências podem ser superiores às permitidas e acarretar possíveis problemas.

O que acontece se você não desligar o celular no avião?

(Fonte: Unsplash)(Fonte: Unsplash)Fonte: Unsplash

Todos os passageiros estão sujeitos às regulamentações das companhias aéreas e da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). O não cumprimento das medidas estabelecidas poderá causar o desembarque do passageiro.

A pessoa também pode ser enquadrada no artigo 261 do Código Penal, que pune de dois a cinco anos indivíduos que violem a segurança do transporte aéreo.

O crime previsto é expor o avião a perigo ou praticar ato que impeça ou dificulte a navegação aérea, ainda que ainda em terra. No entanto, as penalidades não param por aí.

A companhia aérea poderá aplicar quaisquer multas contratuais previstas na compra da passagem, e o passageiro poderá ser proibido de embarcar no avião, punição facilitada pela Lei nº.

A implementação da lista de no-fly está em fase regulatória, e o indivíduo punido ficará proibido de voar por até 12 meses. Portanto, Vale a pena usar o bom senso e sempre manter o celular no modo aviãomesmo antes de embarcar.

Wifi em aviões: é seguro?

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)Fonte: Shutterstock

Sim, usar o Wi-Fi no avião quando oferecido pela companhia aérea é um método seguro. No entanto, o uso deve ser feito sem retirar o aparelho do modo de voo, conectando-se apenas à rede de internet.

Atualmente, a maioria das empresas do setor oferece o serviço em voos domésticos por meio da compra de um pacote de dados. Em voos internacionais, é comum que a disponibilidade seja feita de forma gratuita, incluída no preço da passagem.

Como o sinal wifi chega aos aviões?

(Fonte: Shutterstock)(Fonte: Shutterstock)Fonte: Shutterstock

Existem dois métodos para isso. O mais tradicional é semelhante à forma como nos conectamos em situações normais. O sinal de internet é disparado de antenas estrategicamente posicionadas pelas operadoras.

Essas ondas são rrecebidos por dispositivos colocados sob a fuselagem de aeronavessendo liberado para os passageiros.

Agora você deve estar se perguntando: e quando é uma viagem internacional, que atravessa oceanos, onde não há antenas? Em situações como essa, os aviões passam a receber o sinal de internet por meio de satélites.

A captura é feita pela mesma antena da fuselagem que, na sequência, envia para os equipamentos presentes a bordo. Interessante, não é?

As companhias aéreas tiveram que se adaptar à invenção do telefone celular

(Fonte: Wikimedia Commons)(Fonte: Wikimedia Commons)Fonte: Wikimedia Commons

Os telefones celulares são uma invenção muito mais recente do que os aviões. Quando surgiram, os primeiros aparelhos eram usados ​​normalmente durante os voos, sem muitas regras a respeito.

Entre as décadas de 1990 e 2000, muitos relatos chegaram a associar problemas nos sistemas de navegação de aeronaves com o uso de telefones celulares, mas nenhum estudo foi conclusivo até o momento.

Em 2003, o Instituto de Engenheiros Elétricos e Eletrônicos (IEEE Spectrum) concluiu que o uso ininterrupto de eletrônicos que emitem radiofrequência poderia interferir nos instrumentos do cockpit, mas não no GPS do avião, uma vez que operam em frequências diferentes.

A FCC, em conjunto com organizações internacionais, certifica que todos os dispositivos móveis comercializados nos Estados Unidos não causam interferência. Os principais fabricantes de aeronaves usam essas certificações em seus equipamentos.

E aí, gostou do conteúdo? Esperamos ter esclarecido todas as suas dúvidas. No TecMundo você encontra inúmeros artigos sobre tecnologia, ciência e entretenimento. Não deixe de conferir!

By ys2oi

Leave a Reply

Your email address will not be published.